04 de janeiro de 2021 às 14:35

VIVENDO JANEIRO

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (03/01/2021)

Crédito:ClaudiaVannini


O mês de janeiro apresenta uma esperança por ser o primeiro depois de tantas promessas de fim de ano. Pra inicio de conversa a primeira comemoração é a da confraternização mundial na procura pela paz. No dia 06 celebramos os reis magos que visitaram Jesus, no dia 07 fica por conta da gratidão e o 21 lembramos o combate à intolerância religiosa. Se juntarmos tudo isto, nota-se um propósito bem interessante que alimenta bons tempos. Se for assim então, vamos cair de braçadas neste novo tempo alimentando novas ideias e expetativas.

Ao celebrar a confraternização mundial com foco na paz, lembramos a necessidade de harmonia entre as pessoas. Deus quando criou o mundo tinha um propósito bem legal para a humanidade, mas quando deparou-se com a rebeldia de um de seus anjos, sentiu na pele um reino que atuava do lado contrário de forma que, o balde derramou, literalmente falando. O homem nunca mais foi o mesmo e passou a confrontar com os propósitos divinos fazendo gerar conflitos e apatias. O pessoal do lado do bem continuou com a insistência da instalação da paz, mas encontrando muitas dificuldades. E de fato é muito chato vermos gente querendo se sobrepor aos demais usando para isto todas as ferramentas como exploração, ganância, violência, politicagem, corrupção e por ai vai. A Mãe de Jesus que sempre foi a mulher da paz é celebrada também neste primeiro de janeiro para ajudar na busca pela paz mundial. O que vivemos em 2020 nos assustou de maneira terrível quando fomos assolados por um vírus que surgiu de maneira suspeita e que infelizmente dizimou muitas vidas. Aqui fica a pergunta, por que o homem não opta por viver bem e de maneira tranquila?  Não parece ser tão difícil assim. Continuemos a desejar sempre a paz independente da celebração do primeiro dia do ano. Albert Einstein já dizia: “A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos”.

A comemoração do dia 06 faz lembrar a visita dos reis magos que seguindo uma estrela encontraram Jesus menino que acabara de nascer num local bastante humilde. Os seus presentes eram estranhos pra nós, mas com uma simbologia bem interessante. Segundo o site incensofenix, o ouro entregue a Jesus tem a simbologia da realeza. É um presente que atribui à figura do menino o titulo de Rei dos Judeus. O incenso dado a Jesus, feito a base de olíbano, representa a espiritualidade e também a figura messiânica de Menino Jesus, como o futuro salvado da humanidade. A mirra, que era uma erva tradicionalmente utilizada como balsâmico para corpos, representava ao mesmo tempo o martírio de Jesus que estava para acontecer 33 anos depois e também a imortalidade do Filho de Deus. A lição fica esta, a de continuarmos aceitando o nosso Deus como Rei e nós como seus subordinados. As folias de reis aproveitam o folclore para enaltecer esta celebração reconhecendo o reinado divino sobre as pessoas e o presente que hoje podemos dar ao REI DOS REIS é sê-lo fiel, solidário e promovedor da paz. O site mensagens de amor disse que “Os magos vindos do Oriente à procura de Jesus foram guiados por uma estrela até Belém. A estrela de quatro pontas e uma cauda luminosa. As quatro pontas representam as quatro direções da terra: norte, sul, leste e oeste de onde vêm os homens para adorar a grande luz que é o Filho de Deus. Todo cristão é uma estre de fé, de amor, de esperança para o seu irmão”.

Quanto à gratidão, que se comemora no dia 07, fica a proposta de sermos gratos primeiramente a Deus e em seguida a todos que convivem conosco. Quando citamos convivência, incluímos a natureza, as pessoas que não conhecemos e aquelas que precisam de nós.  Willian Shakespeare dizia que “A gratidão é o único tesouro dos humildes”. Faz-se necessário ser grato à chuva mesmo que ela possa estar nos incomodando, às dificuldades da vida que nos passam inúmeras lições e às doenças que mostram os nossos limites. Mas devemos agradecer também os momentos bons e que nos proporcionam satisfação. Muitas vezes somos mal agradecidos nos fazendo tornar egoístas. Esquecemo-nos de agradecer a Deus por tudo o que ele nos faz, somos às vezes ingratos com as pessoas que nos fizeram algum bem e de vez em quando conosco mesmo. Que o dia da GRATIDÃO nos ensine a conviver melhor.

Por fim colocamos como meta para esta crônica também comentar sobre a intolerância religiosa. Diríamos que religião deveria servir para re-ligar, ou seja, aproximar as pessoas entre si e com o céu. É triste quando assistimos igrejas disputando a pessoa de Deus e explorando os seus fieis com demagogias ao invés de promover a conversão. Estas atitudes acabam fazendo com que as pessoas desanimem e se afastem. Tudo bem que o tema sugere o respeito as religiões, bem como não querer achar que a sua é a única verdadeira, mas um fator não pode ser ignorado, todas precisam promover a ética, a paz, a harmonia e propagar o bem. Aquelas que não possuem estes princípios precisam rever as suas filosofias, até mesmo porque é inadmissível aplaudir ou aceitar segmentos religiosos que destroem as pessoas, bem como suas famílias.

Pois bem! Chegamos mais um final! “Vivendo Janeiro”. Foi este o tema escolhido para iniciar os trabalhos das crônicas no ano de 2021. Muitas outras comemorações são lembradas neste mês. Destacamos apenas quatro para guiar a nossa reflexão, mas o nosso propósito maior é despertar em todos a necessidade de ver com bom olhos a mudança e mesmo que tenha um pouco de desilusão, nunca desanimar da vida e focar nas esperanças para que esta nova etapa seja muito produtiva e abençoada! Para que tudo dê certo, fiquemos firme nas nossas orações para manter a nossa intimidade com Deus. Uma boa sugestão é rezar o Pai Nosso todos os dias assim que acordar. Esta oração ensinada por Jesus é muito poderosa e nos ajuda a livrar de todos os males que possam nos assolar.


Fonte: CLIENT

comentários

Estúdio Ao Vivo