18 de julho de 2022 às 15:15

CINCO ANOS SEM PEDRO LUIZ

Crônica de ELIAS DANIEL DE OLIVEIRA, lida e interpretada por Evaldo Carvalho no Programa Show de Domingo do dia 17 de julho de 2022

Ao meio dia, no exato momento em que se ouvia pelas ondas da Rádio Comunidade FM a tão famosa conclusão do Programa Intercessão: "Os ponteiros apontam para o infinito, hora em que Nossa Senhora abre uma janelinha e dá uma olhada para nós aqui em baixo..." falecia o principal mentor desta emissora, o saudoso Pedro Luiz no dia 18 de julho de 2017, depois de batalhar contra um tumor e aceitar a sua morte com uma citação da oração do Pai Nosso: "... que seja feita a vossa vontade...". A reflexão de hoje embarcará nesta temática com o propósito de não deixar apagar a figura de alguém que se complementava ajudando os outros.

A Renovação Carismática quando iniciou no Brasil marcou uma nova fase na Igreja Católica. A cidade de Cachoeira Paulista sediou a tão famosa CANÇÃO NOVA, casa principal deste movimento que inovou o conceito de oração e evangelização. Não demorou muito tempo para que este humilde evangelizador bom-sucessense, juntamente com outros dois companheiros topasse fazer parte desta turma e se comprometer em espalhar a boa ideia. Assim iniciou em Bom Sucesso a RCC com total apoio do Padre José Elias Negreiros e do bispo Dom Antônio Carlos Mesquita. Dali a pouco o movimento se estendeu pela nossa e outras regiões. O nosso personagem queria muito mais, acreditava que deveria fazer valer a máxima de São Paulo nas suas cartas quando falava de fé e obras. Com isto começou a construir a COMUNIDADE DE JESUS. A intenção era de evangelizar, rezar e cuidar de pessoas necessitadas. A providência de Deus fez com que ele e sua equipe conseguisse construir a sede onde hoje funcionam a creche e a rádio, também quatro casas nos bairros pobres para alimentar as crianças pela manhã. Uma na Beira da Linha, outra no São Judas, outra no Barreiro e outra no bairro das Indústrias. Citamos também a Cantina São Francisco que dava assistência aos acompanhantes dos enfermos na Santa Casa. Tudo feito com muito sacrifício e apoiado na misericórdia de Deus. Pedras pelo caminho foram aos montes, mas ele não titubeou e conseguiu realizar o seu sonho. Por motivos que não vem ao caso, as CASAS DE MARIA, nome que deu para as obras na periferia, não funcionam mais, mas a entidade continua firme e forte se empenhando, inclusive, na construção de um segundo endereço para servir também de um espaço para retiros religiosos.

Outra entidade que teve sua marca registrada foi a Sociedade de São Vicente de Paulo com um intenso trabalho na causa do pobre. Fundou conferências, foi presidente, presidiu conselhos e o asilo numa época onde o dinheiro para a manutenção da obra vinha quase que praticamente de ajudas externas. Sem medo de errar, diria que muita gente chegou ao céu ouvindo as suas pregações e orações, bem como seguindo seu legado de fazer o bem. Sempre embasando a sua filosofia na humildade, detestava ser homenageado ou vangloriado, preferia seguir os ensinamentos paulinos quando dizia: "Convém que Cristo cresça e que eu diminua...". Assim, nunca desejou chegar ao poder, por muitas vezes foi convidado a candidatar-se, mas sempre recusava dizendo que não desejava ter inimigos, coisas naturais da política.

Estes cinco anos passaram igual a um foguete, mas o seu legado permaneceu. Os mais novos podem não tê-lo conhecido, mas já ouviram falar dele. Talvez ele não gostaria de ser considerado assim, mas sem sombra de dúvidas, foi um mito deste que permanece nas lembranças das pessoas. O reconhecimento pelos seus feitos o proporcionou um nome de uma rua, mas a marca maior ficou no coração de quem gostava dele!

   Mudando de assunto sem sair dele, adotemos uma incomum comparação: a do parto. Normalmente um período gestacional dura nove meses que vai desde à concepção ao nascimento. A criança que está para nascer vai se transformando e se revelando seguida de dores, angústias, medo e expectativa. O nascimento marca o fim desta etapa e o início de outra. Metaforicamente diríamos que o final da vida de Pedro Luiz aconteceu desta forma. Em novembro de 2016 tudo começou a fluir finalizando com a sua morte nove meses depois. Pode ser que a comparação não tenha sido a mais ideal, mas levando em consideração a alegria dos anjos em recebê-lo para compor a equipe celeste, ele foi devolvido ao céu como chegou. Dissemos em crônica na época que a primeira a o recepcionar certamente foi Nossa Senhora, a Mãe de Jesus! Em suas aparições ela já havia dito que quem rezasse o terço todos os dias alcançaria a salvação. Sem nenhuma sombra de dúvidas, ela fez questão de abraçá-lo e se alegrar da mesma forma que a mãe no momento do parto. Ali todas as dores cessaram e um novo mundo surgiu. Na terra muitas intercessões no seu nome e inúmeras graças alcançadas!

Como dissemos, com a sua morte veio a oficialização da sua condição de ANJO! Muita gente pediu sua intercessão e foram contemplados depois da sua morte. O que não foi nenhuma novidade, afinal de contas, pelo seu programa na rádio e atuação nos grupos de oração, as bênçãos de Deus já eram abundantes. Que o diga quem teve seu nome constado no LIVRO DA DIVINA MISERICÓRDIA, geralmente pessoas com problemas sérios que eram agraciadas e testemunhavam no final dos sete dias de oração.

Para encerrar, vamos adotar aquela linda canção da cantora Adriana, Lindo Céu. Esta música parece um salmo que, com toda certeza, Pedro Luiz, por experiência no pós-morte, recomenda para nós: "Céu, lindo céu! É o lugar onde eu quero viver pra sempre. Céu, lindo Céu! É o lugar que o meu Deus preparou para mim. Céu, lindo Céu! Onde com os anjos eu cantarei adorando ao Senhor". Emocionante, não é!!! Por aqui ficou o seu legado, exemplos, lembranças. No céu ele nos receberá no dia em que chegar a nossa hora. Pode até ser que ele esteja fazendo falta aqui na terra, mas foi para o céu para reforçar a equipe de anjos! Pedro Luiz de Oliveira, rogue sempre a Deus por nós!!!

Fonte: CLIENT

comentários

Estúdio Ao Vivo