VENDO A BANDA PASSAR!

11938009_870063349754474_1108599174_n

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (30/08/2015)

Em tempos de festas, méritos sejam reservados à arte musical representada pelas bandas de música, aqui no caso a BANDA LIRA SANTA CECILIA, da cidade de Bom Sucesso, Minas Gerais. O que seriam destas festividades caso não pudessem contar com a animação destes musicistas? Eles abrilhantam as procissões, cortejos, alvoradas, eventos, inaugurações, recepções, dentre outros. Isto sem contar o lado social de desenvolver na garotada uma paixão pela cultura. Tudo parece bonito a partir destes comentários, mas no fundo a banda de nossa cidade está enfrentando muitas dificuldades, necessitando da atenção e ajuda de todos.

De acordo com os acervos, a banda de Bom Sucesso nasceu no ano de 1902, portanto completará 113 anos no próximo primeiro de novembro. O primeiro presidente provisório e regente foi Tarquínio Castanheira até que acontecesse a eleição que elegeu Carício Carivaldo Castanheira. De acordo com artigo 2o do seu estatuto, a associação tem por finalidade difundir a arte musical, por meio da manutenção e administração, em caráter permanente, de uma Banda de Música, ministrar aulas teóricas e práticas de música com instrumentos de sopro e percussão, estimular os jovens da comunidade a frequentarem às aulas de música, com vista à sua socialização e profissionalização, formar músicos, promover ensaios para os instrumentistas e o entretenimento da comunidade através de retretas, atender pedidos, formulados pelas autoridades locais, para apresentações musicais, participar dos eventos religiosos, cívicos, culturais, populares, ou recreativos que ocorrem no município e procurar sempre atender a convites para apresentações em outras cidades.

Uma banda de música contagia e cutuca no fundo do coração, que o diga quem participa do Setenário de Nossa Senhora das Dores, também quem já seguiu um enterro acompanhado desta modalidade de música. Normalmente não é comum ter cantoria em uma apresentação de banda, no entanto as canções instrumentalizadas conseguem passar a sua mensagem, isto serve tanto para as clássicas como a execução dos novos títulos.

Duas grandes dificuldades que passam as bandas, fundamentalmente a de Bom Sucesso, é a alta rotatividade dos musicistas. A grande maioria deles é composta pela rapaziada que precisa partir para outros centros por falta de oportunidade na cidade e acaba reduzindo o quadro da banda. Outro fator de singular importância é a questão financeira. O repasse do governo para este fim não é tão suficiente, principalmente em tempos de crise, assim há uma necessidade de novos equipamentos, instrumentos e subsídios para a condução das atividades.

Uma das saídas é participar de associações que abraçam esta causa. Esta atitude remonta àquela expressão popular que um graveto sozinho é fácil de ser quebrado, mas junto com outros, fica mais difícil. Com esta ferramenta, a Corporação Musical Lira Santa Cecília de Bom Sucesso procura ganhar forças pleiteando participar do projeto “Banda de Minas” com o objetivo de ganhar novos instrumentos musicais e ingressando na Secretaria Municipal de Esporte e Turismo para se beneficiar de verbas federais para ajudar na manutenção. A turma tem promovido também barraquinhas e contando com colaboradores para se manter.

No momento a banda está passando por um processo de reestruturação, a começar pelo nome que era Banda Municipal Lira Santa Cecília, agora é Banda Lira Santa Cecília de Bom Sucesso. O principal objetivo atualmente é conseguir uma sede, uma vez que já possui um terreno na área central, na Avenida 8 de setembro.  O local, que atualmente está servindo de sede, foi cedido pela Prefeitura Municipal, é bem pequeno, não comporta todos os músicos e muitas das vezes é preciso que os ensaios aconteçam no pátio, o que torna difícil nos dias chuvosos.

Durante muito tempo a banda funcionou pela boa vontade do regente e dos musicistas. A Prefeitura Municipal ajudava como podia por intermédio da Secretaria de Cultura, mas pelas exigências do momento, a entidade precisa de documentação até mesmo para participar de concursos, editais e festivais.  A boa noticia é que estas formalidades estão todas sanadas, com nova diretoria e promoções para conseguir verbas. O que se espera de todos agora é mais do que o reconhecimento e as palmas pelo bonito trabalho, mas uma interação e ajuda, afinal de contas a banda de Bom Sucesso já se tornou um patrimônio e faz parte da história da cidade;

Não convém aqui citar as grandes celebridades que já passaram pela Banda para não correr o risco de esquecer alguém, mas além de espetaculares artistas e compositores, muitas pessoas já engrandeceram esta corporação brilhante que não pode morrer jamais.

São muitas lições aprendidas ao assistir a banda passar. A harmonia entre os músicos e instrumentos mostra às pessoas que na vida tudo deve passar por organização, respeito ao trabalho do outro, dependência um do outro, amizade e fundamentalmente, beleza. É bonito ver a garotada praticando uma cultura milenar numa época de tanta alienação e outras modalidades musicais. Vê-se que a história permanece viva e é respeitada.

Ver a banda passar significa que ela merece aplausos! Não significa que ela vai passar e não voltará mais. Pode ter certeza que na primeira oportunidade ela retorna e ainda melhor, mais reforçada com a sua ajuda!!!

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (30/08/2015)

Deixe uma resposta