UMA NOVA CHANCE

13295168_1023621191065355_755558326_n

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (22/05/2016)

Como viver não é tão fácil assim, todos tem direito sempre a uma nova chance. A Cada dia uma nova oportunidade surge para quem sentir-se derrotado. Em outras crônicas já foi dito que “a vida é semelhante a um caderno com folhas em branco, ou você escreve nelas ou outros a escreverão contra você”. Todos os dias uma nova página é aberta e cabe a você mudar o que for necessário ou incluir o que te fizer bem. É lógico que nem tudo poderá ser mudado, mas cabe-lhe colocar a roupagem que lhe agradar. Já dizia Eleanor Roosevelt: “Ninguém pode te fazer infeliz sem o seu próprio consentimento”.

Conta uma história de certa família que morava numa fazenda e vivia bem com tudo aquilo que havia sido conquistado pelo pai em tantos anos de trabalho, contudo o filho pouco valorizava tamanha riqueza esbanjando tudo o que lhe era repassado. Preocupado com o seu futuro, o pai dirige-se a ele e diz: Meu querido filho, sei que quando eu morrer você deverá gastar toda a sua herança e com certeza não dará continuidade a tudo aquilo que foi conquistado com muito sacrifício. Depois de ter gastado tudo, com toda certeza você entrará numa pobreza extrema e passará fome, assim gostaria que realizasse o último desejo do seu pai, vá até o moinho onde vou deixar desde já uma corda pendurada na comunheira, coloque-a no pescoço e se atire ao chão. O filho estranhou aquela previsão do seu pai e tentou mudar de vida sem contudo conseguir se controlar. Certo dia aconteceu o previsível, o seu pai veio a falecer. Coube-lhe então a continuidade da administração dos bens da família. Sem muito conhecimento, o rapaz esbanjou, gastou o que podia e o que não podia e, como se fosse uma profecia de seu pai, chegou à ruina e de fato começou até mesmo passar fome. Naquele momento diante de um arrependimento profundo, chegou à conclusão que a única coisa que lhe restava era fazer o que o pai havia lhe pedido, enforcar-se. Dirigiu-se então ao celeiro e pensava como seria bom ter uma segunda chance, amarrou a corda ao pescoço e se atirou ao chão. Para sua surpresa aquela madeira já estava podre e oca e quebrou-se não permitindo que o enforcamento acontecesse. Dentro dela tinha uma grande quantidade de ouro, joias e moedas além de um recadinho escrito pelo seu pai: Esta é a sua segunda chance, não a desperdice.

Deus, na sua sabedoria, cuida da sua criação com um carinho muito especial! Na verdade o que acontece é o afastamento dos seus filhos aos assuntos relacionados ao céu. Assim, os problemas vêm sem pedir licença. A todo instante é possível receber uma segunda chance. O ano da misericórdia, instituído pelo Papa Francisco tem a intensão de alertar a todos que Deus é muito misericordioso e deseja intensamente a salvação dos seus filhos. Pra isto, oferece sempre uma segunda chance com a intenção de não perder ninguém para as forças do mal.

Há quem diga que o sofrimento e a morte são grandes sinais que nem sempre a segunda chance acontece. Mas, não é bem assim, muitos males surgem pela fragilidade humana e não porque Deus assim proporciona. Intensificando o tema, é possível dizer que algumas doenças tem por objetivo defender o corpo de um mal maior. Por exemplo, a gripe nada mais é do que uma defesa do organismo que expele aquilo que pode proporcionar a morte. A dor no estômago é sinal que ele precisa de cuidados, enfim, as dores são também sinais de segundas chances. E quanto à morte? Bom, a cultura adotou a ideia de que ela é o fim e por isto tem uma relação com tristeza e sentimento de luto. Mas, levando em consideração que a única certeza que se tem nesta vida é a morte, ela passa a não ser tão vilã assim e no que concerne a uma nova chance, ela atua na salvação da pessoa que não pôde mais viver na terra, mas foi descansar junto de Deus.

Infelizmente o erro é o que se tem de mais normal neste mundo. Todos estão susceptíveis a ele. Lembra daquela antiga frase “Errar é humano”? O que não pode acontecer é a persistência no erro. Sendo então algo normal, a segunda ou mais chances sempre são ofertadas. O problema é acontecer o vício das novas oportunidades. É o caso de pessoas que tendo sempre uma nova chance, se acomodam e não se preocupam mais em acertar. O exemplo citado acerca do filho que se enforcou e recebeu do seu pai a oportunidade de um recomeço não se repetiria. Caso não conseguisse aproveitar a segunda vez, a ruina seria agora fatal e não teria jeito mais.

Assim também é a vida, as novas oportunidades são limitadas e um dia chega ao fim. Se fizer bom aproveito, parabéns! Mas se não, chore e conforme com a sua falta de percepção. O episódio do filho pródigo é um bom exemplo de alguém que teve uma segunda chance. Depois de ter abandonado o lar usufruindo da herança a tal ponto de chegar ao fundo do poço, resolve voltar para a casa do pai e pedir arrego. A segunda chance lhe foi oferecida e caso ele viesse a desperdiçar, jogaria por terra toda uma vida renovada. O escritor Francisco do Espirito Santo disse: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.

Melhor ainda é poder usufruir de tudo o que a vida nos oferece sem precisar recorrer a uma segunda chance. Todo mundo precisa procurar sempre a perfeição e fugir dos erros. Mesmo não sendo fácil, a meta de quem quiser vencer é lutar constantemente rompendo as dificuldades e olhando sempre pra frente. Não há vitória sem luta! O bom de tudo isto é que, uma vez tendo lutado e se de repente não houver sucesso, a segunda chance surgirá para auxiliá-lo.

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (22/05/2016)

Deixe uma resposta