Tempo de recomençar

A primeira missa deste ano de 2015 foi celebrada pelo recém-ordenado Padre Alexsandro. Nela ele comentou estar de parabéns quem inventou o primeiro de janeiro. Logicamente sem tirar os méritos do “31 de dezembro”! Mas mudar de ano é muito interessante quando percebe-se que alguma coisa pode mudar. Tudo aquilo que foi vivido, com ou sem erros, recebe agora, uma pitada de transformação. Como a água do rio que está em constante movimento, o ser humano não pode acomodar no seu comodismo. É necessário viver um dia após o outro, mas é muito mais necessário procurar caminhos para intensificar esta vivência.

O lado mágico do primeiro de janeiro é exatamente poder dar tchau para uma etapa que acabou de encerrar. Este período pode ter sido problemático ou abençoado, mas não pode mais continuar. Imaginem se não houvesse esta mudança e o que o ano fosse contínuo. Provavelmente os problemas continuariam. Com o encerramento de um ciclo, a pessoa pode colocar a cabeça para funcionar e concomitantemente fazer uma espécie de balanço ou revisão e correr atrás de coisas novas.

Bendito seja o primeiro de janeiro! É como sair de um ônibus e entrar em outro. A logística do veículo é o mesmo, mas respirar um ar novo, sentar em outro lugar, conversar com outras pessoas, dar uma esticada no esqueleto e sentir a mudança ajuda a pessoa a repensar tudo aquilo que estava acontecendo.

Ao viver o mesmo ano continuamente, acontece uma acomodação. É como olhar sempre o dia seguinte na expectativa que possa melhorar. Com o encerramento e a conclusão de um período, fica uma sensação no ar que a mudança precisa acontecer. Os planos, projetos, sonhos e previsões de repente começam a surgir do nada e procura um espaço nos nossos propósitos.

Acontece também certo medo quando o primeiro de janeiro bate à porta. Fica um pouco daquela sensação de que nem tudo estava pronto e que alguma coisa ainda poderia acontecer…

Outra preocupação que atordoa as pessoas é quanto à ampliação da idade. Com a mudança do ano já fica subtendido que o envelhecimento vai acontecer. E não se pode negar que cada momento vivido significa dar um passo em direção à morte. Isto compromete um pouquinho o prazer de encarar o primeiro de janeiro.

É comum neste período as videntes lançarem previsões e enganar os bobos de plantão. Ninguém sabe o que acontecerá no próximo segundo, quiçá no decorrer do ano. Os projetos, as metas e a procura por aquilo que é bom tem que ocupar os corações das pessoas neste período de mudança. Já que cabe a Deus o destino dos seus filhos, o melhor que se pode fazer é possuir bastante intimidade com Ele. Estar íntimo com Deus, por intermédio da oração, significa ter um ano sossegado, onde até mesmo os problemas encontrarão caminhos tranquilos e mais suaves.

Enquanto ser individual até que é possível ter um ano de sucesso, o problema é o coletivo. Não dá para confiar em todo mundo. A paz, por exemplo, é muito necessária para a harmonia social, o problema é que não se faz paz sozinho e no momento em que alguns a desprezam, fica difícil a sua concretização. Em se tratando de política, como pode o ser individual conseguir melhorá-la? A própria palavra não deixa margem para este individualismo, Política vem de Polis, que na Grécia antiga significava diversos, muitos

No fundo ninguém pode temer o novo. O velho tem data de validade independente da sua aprovação. Uma coisa é certa, ultimamente o tempo está mais apressado que cavalo de carteiro, conforme dizia o ditado popular. Assim, é bom não perder um segundo sequer. O melhor é viver cada momento como se não houvesse o amanhã. Aquela expressão: “Não deixe para fazer depois o que se pode fazer agora!” cai muito bem em tudo isto que queremos comentar. Talvez seja esta a solução para evitar problemas neste novo ano. Este negócio de ficar adiando o que se deseja pode acarretar um “tarde de mais”.

Já que já falamos em bênçãos e intimidade com Deus, é bom salientar que o único e verdadeiro caminho para o sucesso neste 2015 é nunca abandonar a fé. Não queixe sequer dos problemas que porventura possa vir encontrar, com os anjos dando cobertura, tudo fica mais fácil.

Não convém temer a morte, a doença, as dores e as angústias. Estas calamidades fazem parte do cotidiano das pessoas. Se você fraqueja no dia da desgraça, é sinal de que sua força é bem pequena”, já anunciava o livro dos Provérbios no capítulo 24, versículo 10. Sendo chamados filhos de Deus, criados à sua imagem e semelhança, ninguém pode negar que somos fortes, resistentes e protegidos. Lembram daquela frase de para-choque de caminhão? “Posso não ser o dono do mundo, mas sou filho do dono”!

Se o ano de 2014 não foi lá aquelas coisas, nos empenhemos para fazer este 2015 cem por cento superior. No final do ano, se Deus assim permitir, daremos graças e lembraremos das bênçãos abundantes solicitadas por nós agora no início. Não pensem que para o ano ficar maravilhoso, faz-se necessário tirar a sorte grande na loteria, ganhar de presente um carro novo, conseguir um emprego invejável, conhecer uma pessoa perfeita, assim por diante. Para o ano ficar em cima do pedido, é bom que você esteja bem, com muita saúde, paz, harmonia, distribuindo amor, caridade e fundamentalmente com a alma serena em função da aproximação de Deus sobre você. Uma vez bem, com toda certeza o resto virá sob acréscimo.

Deixe uma resposta