SOCIEDADE SEM PRECONCEITOS

received_1169979543096185

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (20/11/2016)

Mais uma vez DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA, mais uma vez percebe-se a necessidade de continuar discutindo o assunto e mais uma vez vem a pergunta: “Até quando será necessário abordar este tema?”. Quando Deus criou o mundo ou quando a ciência referiu-se ao primeiro homem, não estava em cogitação a separação de cor. A questão étnica está relacionada à regionalização e as questões sociais não podem ser sobrepostas pelas raciais.

Recentemente o ator Bruno Gagliasso e a sua esposa a atriz Giovanna Ewbank precisaram entrar na justiça contra expressões racistas de pessoas preconceituosas pela internet em decorrência da atitude do casal em adotar uma criança negra da África. O autor do gesto racista faz parte de um grupo que possui por nome: “Lugar de negro é na África”. Que absurdo! Que Ignorância! Que falta de bom senso e humanidade! A lei não pode ser condescendente com pessoas deste nível. Os Direitos Humanos não podem proteger quem age com preconceito. Em qual Bíblia ou Constituição está escrito que o negro é uma raça inferior? Quem disse que cor de pele define personalidade?
Até mesmo o uso da pomba como símbolo da paz é algo meio preconceituoso. Tudo bem que pelas Sagradas Escrituras ela é vista com bons olhos, mas convenhamos, ô avezinha complicada. É uma peste, transmite doenças, proporciona uma grande quantidade de piolhos que infesta o ambiente onde mora, procria com muita facilidade, entope calhas e por ai vai. Uma das crônicas de sucesso apresenta o URUBU como animal muito interessante e útil ao homem. Ninguém sabe onde ele habita, não conhece sequer as suas fezes, ele não emite som nenhum e nem ataca pessoas. Além de tudo isto desempenha um papel maravilhoso de faxinar a natureza com restos de animais mortos que poderia causar inúmeras doenças. Este é o “MEU AMIGO URUBU” que nunca conseguirá o título de pacifista, sabe por quê? Porque ele é pretinho.

A humanidade é preconceituosa por natureza, ao dizer que a coisa tá preta, significa dizer que tá tudo ruim saindo de mal para pior. Neste mesmo exemplo, o branco traduz serenidade, o vermelho: paixão e o verde: esperança. Mas e o preto? O preto significa escuridão, falta de vida e aquilo que causa pânico. Uma antiga expressão era comum ser usada: “Preto com alma de branco”. Meu Deus, quem disse que todos os brancos possuem uma alma exemplar? Por que a cor negra tem de ser a referência para o luto?

O filme e peça de teatro “O AUTO DA COMPADECIDA” de Ariano Suassuna apresenta um Jesus negro. O espanto foi tamanho que até o personagem principal, o João Grilo, questionou se aquilo era possível. Tudo bem que a terra onde teria Jesus nascido e crescido fosse de pessoas quase que amarelas, mas o que tem de mais se os africanos o enxergarem com outra cor? Jesus é Deus e se o homem foi criado à imagem e semelhança d’Ele, Ele pode ser da cor que quiser e todas as etnias precisam ser respeitadas por isto. Atente-se ao que disse Guibson Medeiros: “A discriminação racial é uma atitude tão ingênua, que o racista se torna um perfeito idiota e não percebe”.

Grande feito foi quando o Barack Obama foi eleito para presidente dos Estados Unidos, o país mais preconceituoso do mundo. Sendo ele um negro, mostrou que cor de pele não tem nada a ver com personalidade, exemplo disto foi ele agora abandonar o seu cargo em função das novas eleições e entrar para os livros de história como um dos mais qualificados gestores da modernidade. O Brasil também se deparou com um jurista negro que conseguiu colocar muito político corrupto na cadeia, seu nome Joaquim Barbosa.

Esta mesma nação que deu o título de REI DO FUTEBOL para o negro Pelé. Quantos heróis da cor escura os livros de história já não citaram? Mahtma Gandhi, Martin Luther King, Nelson Mandela, dentre outros. Tudo começou com o tratamento dado aos escravos no período colonial e imperial. Como era desejo a propagação da cultura europeia, é certo que se fazia necessário o menosprezo ao negro africano. Os coitados eram tratados piores do que animais e hoje a sociedade ficou é devendo a estes seres humanos um mínimo de respeito e não continuar com aquela ideologia de segregação idiota.

Um fator que não pode deixar de ser considerado é quando o preconceito vem por parte do próprio negro. Muitas vezes eles se acham discriminados e procuram alternativas para intensificar este distanciamento. Um bom exemplo é o sistema de cotas em universidades. Dá a impressão que a cor de pele interfere na aprendizagem e na verdade não é isto que acontece. A inteligência é algo que Deus distribuiu por igual e a possibilidade de ser aprovado em uma prova como esta não pode ser diferenciada. Esta separação tem causado bulling por parte de quem entrou sem cotas para aquele que foi beneficiado.

Pois bem, este tema é bem polêmico e abre margem para muitas discussões e para fechar com chave de ouro, fica aqui o desejo que a sociedade seja de fato humanitária, igual, respeitosa e de muito amor mútuo. Assim já dizia o escritor Alber Germânico: “Preconceitos, intolerância racial e social, profunda estupidez. Ao final somos e seremos apenas ossos”.

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (20/11/2016)

Deixe uma resposta