O PEDIDO DE UM PAI!

11865096_858743870886422_510396454_o

Mais uma vez, dia dos pais! Embora todos os dias sejam dedicados a eles, isto porque, o seu cotidiano é bem intenso. Ser pai é bem mais do que preocupar com presentes, mas voltar a atenção para a sua família. Um pai dedicado trabalha no anonimato. Ele cuida da família, preocupa com o bem estar de todos e não faz questão de ser exaltado por esta dedicação. Durante todos os anos de sua vida, sofre sozinho, mas não deixa a peteca cair e a única coisa que gosta de exigir dos filhos é a gratidão. A crônica de hoje prestará uma homenagem aos pais com foco naqueles que já estão idosos e depois de anos a fio cuidando da sua família, precisa agorada ajuda deles. A inspiração para guiar a reflexão partirá de uma bela canção de Lourenço e Lourival intitulada “PEDIDO DE UM PAI”. Nesta música, a solicitação do velho pai ao filho.

A dupla surgiu no interior de São Paulo, na cidade de Ribeiro Preto no ano de 1956 e este sucesso ultrapassou fronteiras. Até hoje esta música, de autoria de João Teixeira e Wilson Gomes é tocadas em rádios no Japão, na China e em outros países asiáticos. “Fizemos apresentações na Argentina e no Paraguai e estamos com convite para cantar em Portugal e no Japão”, disse Lourenço.

Acompanhe o desabafo do pai: “Filho, quero pedir algumas coisas para você, faça um esforço se puder me atender, o teu pai vai precisar de atenção. Filho, o tempo vai mudar o meu modode agir, quando você me chamar e eu não te ouvir,tente entender a minha falta de audição. Filho, se algum momento eu tiver algo pra falare por acaso minha voz não escutaré que eu perdi a resistência do pulmão. Filho, se eu ficar resmungando por tolicenão se preocupe, é o inicio da velhicee para isso não existe solução. Filho querido, não é preciso esquentar sua cabeça, é normal que o ser humano envelheça, comigo é certo que também vai ser assim. Filho querido, eu cuidei de você até crescere esta chegando minha vez de envelhecer. Estou pedindo pra você cuidar de mim. Filho, se eu deixar algo cair da minha mão, não vai pensar que é por falta de atenção, eu jamais faria isso por maldade. Filho, se eu ficar de madrugada por ai feito um fantasma pela casa sem dormirserá também pelo excesso da idade. Filho, teu cuidado não é por obrigação, agradeço toda sua proteção e pelos lindos netos que você me deu. Filho a vida é assim, o tempo passa e tudo muda, fique sabendo que vai precisar de ajuda quando você ficar velho feito eu. Filho querido, não é preciso esquentar sua cabeça, é normal que o ser humano envelheça comigo e é certo que também vai ser assim. Filho querido, eu cuidei de você ate crescer eestá chegando a minha vez de envelhecer. Estou pedindo pra você cuidar de mim, meu filho, meu filho, cuida de mim!”.

Os autores desta música estavam bem inspirados! Conseguiram interpretar o desabafo de um idoso pai, provavelmente viúvo, que já percebendo estar incomodando com a sua velhice, pede a compreensão do filho certamente casado que teria ficado com a incumbência de cuidar dele, apesar das dificuldades. O episódio, apesar de ser apenas uma música, tem tudo a ver com a realidade. Quanto pai que aproveitando o pouco de sanidade que ainda lhe resta, aproveita para pedir aos filhos um pouco de compreensão. Deve ser muito triste aguardar a morte chegar tendo como companhia a solidão depois de incontáveis anos cuidando da família que agora já não existe mais.

O melhor presente que um pai espera, principalmente aqueles que estão mofando nos quartos dos asilos, é o abraço do filho. Outras modalidades de agrados durante a vida nunca é mais importante do que o carinho e o reconhecimento da família.

Uma antiga mensagem relata com propriedade o que o filho pensa do pai, acompanhe: “Aos 7 anos: Papai é grande. Sabe tudo!  Aos 14 anos: Parece que Papai se engana em certas coisas que diz… Aos 20 anos: Papai está um pouco atrasado em suas teorias; não são desta época… Aos 25 anos: O “coroa” não sabe nada… Está caducando, decididamente. Aos 35 anos: Com minha experiência, meu Pai seria hoje, milionário. Aos 45 anos: Não sei se consulto o “velho”, talvez me pudesse aconselhar. Aos 55 anos: Que pena Papai ter morrido, a verdade é que ele tinha ideias notáveis! Aos 60 anos: Pobre Papai! Era um sábio! Como lastimo tê-lo compreendido tão tarde…”.

Os pais são sábios e os filhos precisam perceber esta realidade. Os momentos em que foram intransigentes serviram para revelar o amor incondicional e a preocupação com as suas crias. Homero,um velho filósofo grego, disse a seguinte frase bem antes de Jesus Cristo: Na verdade, poucos filhos são semelhantes ao pai; a maioria é inferior, poucos são melhores que ele”.

Os filhos poderiam explorar cada vez mais esta oportunidade de aprender com os seus pais e serem gratos por todo o sempre. Um pai idoso costuma ser chato, cabeça dura e incompreensível, mas a culpa para que ele pudesse chegar a esta situação foi do sistema, da idade, do cansaço, do peso dos anos e algumas vezes pela ingratidão. Na música de Lourenço e Lourival, o filho também escuta que um dia ainda ele vai passar por tudo aquilo que estava passando o seu pai. Pois é, fica ai um momento de pensar na seriedade da coisa.

Enfim, fica aqui os votos de um FELIZ DIA a todos os PAIS e o desejo do reconhecimento de todos os filhos a esta data que não pode passar em branco!

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (09/08/2015)

Deixe uma resposta