O CONHECIMENTO NUNCA SE ESGOTA

received_1004740939620047

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (24/04/2016)   

        Diante de tantas comemorações e situações patrióticas, esta semana foi carregada de munição para os livros de história. É até interessante como se acumulam atividades comemorativas neste período, vejamos: dia 19 lembrou-se o ÍNDIO.Dia 21, Tiradentes, falecimento do primeiro presidente eleito pós-ditadura militar, o mineiro Tancredo Neves e aniversário de Brasília, a capital federal. Dia 22, Descobrimento do Brasil, dia da terra e da Comunidade Luso-brasileira. Para enriquecer o tema, dia 23 foi lemExibindo received_1004740939620047.jpegbrado como o dia do Livro. E, entrando agora para os registros históricos, o segundo impeachment da história do Brasil.

Um lema bem interessante da TV Futura, “O conhecimento nunca se esgota” ajuda bem a mostrar que há uma necessidade bem grande de todas as pessoas se inteirar de tudo o que diz respeito à sua sociedade. Ninguém pode ficar distante dos acontecimentos que guiam a história passada e presente do Brasil direcionando-a ao futuro. No último dia 17 de abril, no Congresso Nacional, os deputados votaram o impedimento de governo da presidente Dilma. Apesar da seriedade do assunto, o episódio mais pareceu um circo com tantas baixarias, votos engraçados, situações vexatórias, beijinhos para o papai, mamãe, filhinho, neto, bisneto, até para algum que ainda nem nasceu e por ai afora. Mais parecia o antigo programa “Xou da Xuxa”, exibido pela Rede Globo nos anos 90. Mas, pra todo efeito, a primeira etapa do julgamento da presidenta terminou contra ela, o veredicto fica por conta do senado. Enfim, trata-se de um assunto de relevância nacional que não pode passar despercebido de ninguém, afinal de contas, é a história do Brasil que está em jogo.

Há uma ligação ideológica entre estas datas comemorativas. Ao lembrar inicialmente dos índios, fica ahomenagem aos primeiros moradores desta terra. Mais do que uma descoberta ou invenção, o que aconteceu de fato foi uma invasão. Quanta crueldade sofreram estes coitados nas mãos dos colonizadores. Melhor seria que pudesse ter tido um acordo e não uma dizimação conforme aconteceu. Saltando para o dia 22, a história do Brasil lembra Pedro Álvares Cabral e seus marinheiros chegando nesta terra e tendo um primeiro encontro com os nativos a que puseram o nome de índios ao alegar ter chegando às Índias. Há muita história mal contada neste contexto, mas, independente de qualquer coisa, o Brasil iniciou as suas atividades nesta data. Por coincidência ou não, neste dia 22 de fevereiro comemora-se o dia da Terra. Esta é a terra onde pisamos, construímos a nossa moradia, tiramos o nosso sustento, alimento, a água, tudo que garante a nossa sobrevivência e na maioria das vezes é ela que nos recebe quando morremos. A bem da verdade esta lembrança deveria ser bem mais forte do que muitas outras comemoradas pela nação que não são tão importantes assim.

Em 21 de abril lembramos a Inconfidência Mineira. No ano de 1789, um herói nacional ganhou notoriedade, seu nome: JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER, tinhapor apelido Tiradentes. A condecoração de herói só surgiu mais tarde quando reconheceram os seus propósitos de tornar o Brasil uma terra independente aos moldes do iluminismo europeu. Se dependesse da maneira como a coroa portuguesa o tratou naquela ocasião, jamais ele poderia ser lembrado pela história. Outro “herói”, se é que assim ele possa ser considerado, foi o primeiro presidente eleito após 20 anos de ditadura militar. Seu nome TANCREDO DE ALMEIDA NEVES. Em 1984, aceitou a proposta de se candidatar à Presidência da República e em 15 de janeiro de 1985 foi eleito presidente do Brasil pelo voto indireto de um colégio eleitoral por uma larga diferença. No entanto, adoeceu gravemente em 14 de março do mesmo ano, véspera da posse. Em 21 de abril, morreu de infecção generalizada. É considerado um dos mais importantes políticos brasileiros do século XX.

O Livro ganhou a sua comemoração no dia 23. A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) criou a data do “Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor” para encorajar as pessoas, especialmente os jovens, a descobrirem os prazeres da leitura, e a conhecerem a enorme contribuição dos autores de livros através dos séculos. Na tradição catalã, no dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição em outros países também. É uma pena que com a era da internet, os livros tenham ficando obsoletos. Muitos leitores que ainda curtem este prazer da leitura já puderam testemunhar que um livro é bem mais interessante que um filme que reproduza o mesmo tema.

E, partindo em direção ao final, a história do Brasil ganhou mais algumas páginas com o Impeachment da presidente Dilma. Se ela tem razão ou não, se os acusadores têm razão ou não, se trata de um golpe ou não, a própria história cuidará de dizer. O questionamento que pode ser mencionado aqui é o que diz respeito à interferência da mídia ao noticiar os fatos. Ela é responsável em levar para todo o brasileiro o que está acontecendo e infelizmente nem todas são imparciais proporcionando assim uma alienação nas pessoas que não possuem senso critico.

Fica então a lição de hoje, o conhecimento nunca se esgota, e como diz o canal Futura, “o conhecimento é irresistível!”.

Crônica de Elias Daniel de Oliveira (24/04/2016)

Deixe uma resposta