O Brasil pós Copa do Mundo

Com a finalização da Copa do mundo o Brasil reinicia de novo. A primeira vez foi em janeiro, depois após o carnaval e agora com a finalização deste evento esportivo. Muitas preocupações nos esperam depois desta pausa para curtir a alegria e concomitantemente a tristeza pela derrota da seleção brasileira. Em se tratando de administração pública, muita coisa ficou pra ser trabalhada agora. Assim, estes cinco meses restantes terão de ter a força de um ano inteiro para se ajeitar, consertar o que estava errado e planejar o que vem por ai.

Quanto aos gastos com a Copa do Mundo, nem tudo foram flores. Segundo o site JUS NAVEGANDI, Em uma perspectiva de longo prazo, a estimativa disponível em relatório “Impactos econômicos da realização da Copa 2014 no Brasil”, da empresa Value Partners Brasil Ltda, contratada pelo Ministério do Esporte, é que o evento deverá agregar um total de 183 milhões ao PIB do Brasil até 2019. Dentro deste montante, originado de recursos públicos e privados, estão considerados os investimentos diretos, despesas operacionais do evento e dos visitantes, bem como os impactos sobre a produção do país, renda e emprego.

O jornal “Hoje em dia” fez uma pesquisa sobre a perspectiva dos brasileiros quanto a situação econômica depois da copa, o resultado ficou assim: A maioria dos brasileiros está pessimista. Passado o evento, 52% dos entrevistados acreditam que a situação vai piorar e apenas 14% esperam melhora. O restante, 34%, aposta na manutenção do cenário, revela pesquisa nacional feita pela Boa Vista SCPC. A enquete ouviu cerca de mil pessoas. Os resultados mostram que o cenário de desaceleração que prevalece na economia brasileira desde o início do ano, marcado pelo baixo crescimento e por revisões para baixo do PIB, deve voltar a preocupar a população.

Aqui em Bom Sucesso mesmo é possível ver a pouca movimentação de dinheiro. Desde o inicio do ano várias lojas se fecharam e outras estão resistindo conforme Deus quer. Com isto os índices de desemprego têm aumentado e mesmo sendo apenas uma cidade pequena entre as 5.570 que possui o Brasil, dá pra notar o que está acontecendo.

Esta Copa baterá todos os recordes financeiros da história do futebol e será a mais lucrativa de todos os tempos, pelo menos para a FIFA: a previsão da entidade é arrecadar cerca de US$ 15 bilhões, sem pagar nenhum centavo de impostos ao Brasil, já que o Governo lhe concedeu 100% de isenção fiscal. Depois, levará todo o dinheiro para a Suíça.

Depois da derrota humilhante da seleção brasileira para os alemães, enquanto tem jogador que recebe até cinco milhões por mês, há de se perguntar: quem são os heróis e quem são os bobos da corte? Tudo bem que foi um evento ímpar para os brasileiros que por sinal foram excelentes anfitriões, mas o pobre coitado que trabalha feito louco para o crescimento da nação não recebe tais méritos e ainda tem que arcar com estas despesas, isto sem contar o que foi desviado e favoreceu alguns malandros.

Outro tema que ocupará as páginas dos jornais de agora em diante é a ELEIÇÃO 2014. Neste ano será eleito presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. A disputa é acirrada principalmente porque o salário é extremamente elevado, tirando alguns que de fato preocupam com a nação. Até agora em Minas Geras já são oito candidatos registrados ao governo. Para a presidência a lista chega a mais de quatorze extra-oficialmente. O número de candidatos a Deputados e senadores é enorme.

Em agosto começa a abordagem aos eleitores. A televisão, jornal, outdoor, panfleto, dentre outros divulgarão as prováveis boas pessoas que pleiteiam uma vaga na administração pública. Todos se dizem aptos e prometem responsabilidade com a causa. Quais merecem de fato esta credibilidade? E o pior de tudo é que alguns serão eleitos independentes da sua competência.

A mídia já está divulgando algumas celebridades que desejam candidatar. Vários deles já deixaram claro que não tem vocação pra política, mas como tem fama e os partidos ficam na cola deles, resolvem então candidatar-se. Por sua vez, o povo alienado acaba votando nestes cidadãos por gostar deles como ídolos, não necessariamente por serem bons representantes na câmara federal ou estadual.

Nas suas campanhas preferem mostrar o que tem de destaque, como partes do seu corpo, atributos físicos e artísticos, enfim aquilo que os fazem pessoas de sucesso. No que concerne a questões políticas não conseguem apresentar nenhum plano de governo e muito menos possíveis projetos. Por estas e outras que a nação enfrenta sérios problemas de improbidade administrativa.

Pela Lei Complementar nº 135, de 4 de junho de 2010 foi criada a chamada LEI DA FICHA LIMPA. Por intermédio dela os maus políticos ficam proibidos de candidatarem outra vez. Mas é estranho que nem isto intimida tantos salafrários a mudarem de ideia.

Enfim, esta segunda metade do ano pode até ser difícil, mas se todos se unirem e conscientizarem da importância dos fatos, as coisas podem passar por transformação. A urna de eleição é uma excelente arma para mostrar para os malandros que a política não é lugar pra eles e dar uma chance pra quem você concordar que possa fazer alguma coisa pela causa popular. Democracia é isto, assim já ensinavam os gregos, governar com a ajuda do povo.

Deixe uma resposta