MARIA CONCEBIDA SEM PECADO!

_20151208_232529

É um privilégio muito grande para os católicos adotar por mãe a mesma de Jesus Cristo, Nossa Senhora. Neste oito de dezembro, a igreja celebra a IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA! Entre todos os títulos da nossa rainha mãe, este soa uma reverência de reconhecimento à sua pureza. Ser imaculada é o mesmo que dizer que ela é pura, sem mancha e escolhida por Deus para ser a mãe do salvador.  Desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada do pecado pela graça de  Deus. Ela sempre foi cheia da graça divina. O dogma declara também que a vida da Virgem Maria transcorreu completamente livre de pecado.
Além de Nossa Senhora das Graças, os vicentinos também a adotam como mãe e referência para a condução dos seus trabalhos. O próprio São Vicente de Paulo era simplesmente apaixonado pela mãe de Deus e ganhava forças nesta devoção para cumprir a sua filosofia. A partir de então ela também adotou a SSVP como sua e esta pastoral sempre cumpriu com qualidade os seus objetivos. Ter uma mulher à frente e cheia de virtudes como esta, reforça todos os propósitos da entidade. Por causa desta devoção, a organização colocou como exigência de celebração a IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA, como forma de agradecer e reconhecer tamanha proteção na causa do pobre.
O dogma que declara a Imaculada Conceição da Virgem Maria é fundamentado na Bíblia: Maria recebeu uma saudação celestial do Anjo Gabriel quando este veio anunciar que ela seria a Mãe do Salvador. Nessa ocasião, o Anjo Gabriel saudou como cheia de graça. Foi o papa Pio IX, o papa que proclamou o dogma da Imaculada Conceição, recorreu principalmente à afirmação de Gênesis (3, 15), onde Deus diz: “Eu Porei inimizade entre ti e a mulher, entre sua descendência e a dela”, assim, segundo esta profecia, seria necessária uma mulher sem pecado, para dar à luz o Cristo, que reconciliaria o homem com Deus.
A expressão “conceição” é sinônima de “concepção”. O dogma, proclamado por Pio IX no fim do século XIX, afirma que a mãe de Jesus, Maria, foi concebida sem a mancha do pecado original, isto é, de forma imaculada (pura). Todo ser humano nasce com o pecado original, mas Maria gozou do privilégio da concepção pura, porque ela estava predestinada a ser a mãe de Deus, isto é, a mãe de Jesus.
Os incrédulos e alguns evangélicos sem formação criticam esta pureza de Maria. Eles alegam ser impossível uma mulher conceber a luz a um filho e continuar virgem. Na verdade eles desconhecem os mistérios de Deus. O carinho reservado a esta mulher santa foi tão grande que ela não precisou passar pelo desgosto da morte, o Pai do Céu a preservou disto, da mesma forma que Jesus, foi guiada aos céus por intermédio da assunção, provocando um grande alarde, mas oficializando os propósitos que a tornaram imaculada e santa.
Segundo o Professor Edson Luiz Sampel, doutor em direito canônico, “Maria de Nazaré desempenha um papel importantíssimo na vida do cristão. Ela não pode nos dar as graças, mas pode pedi-las ao seu filho, Jesus. Foi assim, historicamente, nas bodas de Canaã, uma festa para a qual Jesus foi convidado e, a pedido de sua amantíssima mãe, transformou água e vinho. Jesus não costuma negar um pedido de sua mãe. No céu continua a mesma dinâmica: suplicamos a Maria e ela roga por nós a Jesus”.
Por estas e outras, hoje nós também somos convidados a usufruir de todos estes dotes de graças da mãe de Deus. Jesus lhe concedeu poder incomensurável. Desta forma, tudo o que pedirmos aos céus por seu intermédio, Deus não ousaria dizer não.
Uma belíssima canção católica afirma que Nossa Senhora foi a primeira que comungou, levando em consideração o seu período gestacional em que mantia em seu ventre o filho de Deus. Assim, fica fácil entender porque Jesus lhe confiou tanto poder! Na cena do casamento em que ela, sem perguntar ao filho o que achava, simplesmente ordenou que ele fizesse alguma coisa. Para sua surpresa, o primeiro milagre aconteceu e todos os presentes puderam entender o que era o verdadeiro mistério de santidade entre mãe e filho para a transformação da humanidade.
Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado original e por isto mereceste o título de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, e por terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo Gabriel vos saudou com as belas palavras: “Ave Maria, cheia de graça”; nós vos pedimos que nos alcanceis do vosso divino Filho o auxílio necessário para vencermos as tentações e evitarmos os pecados e já que vos chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal nossa graça para que possamos viver como dignos filhos vossos. Nossa Senhora da Conceição, rogai por nós. Amém.
Crônica de Elias Daniel de Oliveira (06/12/20150

Deixe uma resposta