Ação conjunta busca recuperar atividade agrícola em áreas atingidas pela lama da barragem da Samarco

Foto Workshop

Workshop realizado pela Emater-MG reuniu diversas entidades com o objetivo de criar estratégias de recuperação das áreas atingidas

BELO HORIZONTE (25/05/2016) – Criar estratégias para recuperar a atividade agrícola em áreas atingidas pela lama com resíduos de mineração, após o rompimento de uma barragem no município de Mariana, região Central de Minas Gerais. Esse foi o objetivo de um Workshop, realizado em Belo Horizonte, entre os dias 23 e 25 de maio, com representantes da Emater-MG, Samarco, Embrapa, Epamig, Instituto Bioatlântica (Ibio) e da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca do Espirito Santo.

“Toda parte técnica da Emater-MG está envolvida no trabalho de recuperação das áreas atingidas pela barragem. Já realizamos um trabalho inicial, para avaliar os impactos nas propriedades rurais, e agora queremos ir além com programas, ações e soluções”, destaca o presidente da Emater-MG, Glenio Martins.

Os governos Federal e dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo assinaram em março, deste ano, um acordo com a Samarco para acelerar a implementação coordenada de medidas de recuperação social, ambiental e econômica das regiões atingidas pelo rompimento da barragem. O acordo prevê a criação de uma Fundação de direito privado, que ficará responsável pela implantação de cerca de 40 programas. Entres os programas definidos, existe a recuperação da atividade agrícola nas áreas rurais atingidas.

De acordo com o coordenador do grupo de trabalho da Emater-MG, Amarildo Kalil, o objetivo do workshop foi reunir entidades parcerias para conhecer os programas definidos dentro do acordo entre Samarco e governos. “Primeiro identificamos como cada instituição pode atuar nos programas definidos dentro do acordo. Definido o papel de cada instituição, criamos um escopo de atuação para, mais na frente, definirmos o plano de trabalho. Já temos um diagnóstico da situação e agora vamos em busca de soluções para os problemas”, ressalta.

Parcerias técnicas

Segundo o gerente de Segurança da Samarco, Álvaro Pereira, é momento de buscar parcerias técnicas com instituições que conheçam a atividade agropecuária. “Nossa intenção é conseguir, através de parcerias técnicas com instituições que tenham ´Know-how` em agropecuária no Brasil, para desenvolver o Programa de Recuperação da Atividade Agropecuária das áreas atingidas. Hoje nós temos mapeadas quase 300 propriedades que tiveram deposição de rejeito e agora temos que partir para recuperação e conseguir voltar com a vida normal nessas propriedades”, afirma.

Conhecimento da área atingida

A Emater-MG possui amplo conhecimento da área atingida pelo rompimento da barragem de Mariana. Em fevereiro foi apresentado um estudo realizado nos municípios de Barra Longa, Mariana, Ponte Nova e Rio Doce que apontou um prejuízo de aproximadamente R$ 23,2 milhões aos produtores rurais atingidos. Os técnicos da empresa visitaram cada uma das propriedades.

De acordo com Kalil, foram atingidas 195 propriedades. “Nossos técnicos aplicaram um questionário em cada propriedade e conversaram com os agricultores que tiveram as propriedades atingidas. Foi um levantamento para ter uma ideia do prejuízo. A maior parte foi em áreas utilizadas para pastagem, capineiras, plantações de cana-de-açúcar, grãos e horticultura. Além das perdas dos 1.270 hectares das terras atingidos, também detectamos prejuízos com construções afetadas e máquinas, equipamentos e animais perdidos”, explica.

 

Assessoria de Comunicação – Emater-MG

Thiago Fernandes – Jornalista

Tel: (31) 3349-8191 / 8096

E-mail: thiago.fernandes@emater.mg.gov.br

www.emater.mg.gov.br

facebook.com/ematerminas

Deixe uma resposta