• Cronicas
  • E AGORA, QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?

    15397735_1187481624679310_475970966_o

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (04/12/2016)

    Um antigo bordão do Chapolim, aquele mesmo personagem do Chaves, dizia assim: “E AGORA, QUEM PODERÁ NOS DEFENDER?”. Pois é, estamos vivendo uma situação parecida quando o assunto é politica atual. Segundo as normas do regime democrático, o presidente, prefeito ou governador, bem como os senadores, deputados estaduais, federais e vereadores são eleitos pelo sistema de voto e devem exercer a função em prol do povo que os elegeram. No período eleitoral é possível escutar dos candidatos formidáveis promessas que a gente chega até acreditar que de fato o mundo será melhor, mas quando estão no poder, tudo mudo de figura. (mais…)

  • Cronicas
  • VIDA NOVA

    received_1176942039066602

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (27/11/2016)

    Ao aproximar o final do ano, a mente volta-se para os pensamentos de revisão e para as perspectivas do que está por vir. A Igreja Católica já iniciou este processo com o tempo do advento. Trata-se da preparação para o natal, a celebraçãoda vida, o nascimento de Jesus e o início de um período carregado da graça de Deus. Assim, o homem passa por uma transformação em direção ao novo mundo. (mais…)

  • Notícias
  • Agricultores do Sul de Minas se unem para cultivar e vender produtos orgânicos

    Cerca de 400 produtores já fazem parte da Central Orgânicos do Sul de Minas 

    BELO HORIZONTE (25/11/2016)  – A procura por alimentos orgânicos, produzidos sem uso de agrotóxicos e adubos químicos, é cada vez maior, o que estimula os produtores a aderir a esse modelo de produção. Mas, como toda nova atividade, tem dificuldades e levanta muitas dúvidas. Em Pouso Alegre, a Central Orgânicos do Sul de Minas tem como objetivo justamente defender os interesses dos produtores, além de orientar, em cursos, palestras e com assistência técnica, sobre o modo de produção orgânica e a forma de obter o certificado. A Central, que tem entre os parceiros a Emater-MG, reúne duas cooperativas e nove associações, representando um total de cerca de 400 produtores.

    Em 2011, técnicos da Emater–MG, da Regional do Pouso Alegre, participaram de uma capacitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e puderam conhecer a certificação orgânica pelo sistema participativo. Imediatamente eles levaram a ideia à região e conseguiram adesão dos produtores e parceria do Instituto Federal Sul de Minas, especialmente o Campus do município de Inconfidentes. O trabalho conjunto resultou na criação da Central Orgânicos Sul de Minas, que, no final de 2013, conseguiu ser credenciada, no Mapa, como um Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade Orgânica (Opac).

    Aproximadamente, 160  agricultores já são certificados por esse sistema, que funciona da seguinte forma: o produtor interessado na certificação faz o pedido à Central, a partir daí ele se vincula a um grupo de produtores e passa por um processo em três etapas. Na primeira, ele recebe a visita dos pares, que verificam a viabilidade orgânica da propriedade, preenchem formulários, trocam experiências, estreitam os laços de confiança, discutem sobre a responsabilidade solidária. Na Orgânicos Sul de Minas, essa  etapa ocorre no primeiro semestre de cada ano.

    No segundo semestre, acontece o passo seguinte, que é a visita de verificação. Nesta fase, há sempre o acompanhamento de um técnico da Emater–MG e do Instituto Federal. Nela, grupos distintos visitam outros, de diferentes municípios. Desta forma, os produtores podem conhecer múltiplas realidades, tendo um panorama mais global da produção orgânica da região. Os consumidores de orgânicos também são convidados a participar do processo.

    O terceiro momento da certificação é uma reunião final, na qual um coordenador de cada grupo analisa todos os documentos gerados nas visitas. Se tudo estiver em conformidade, a Opac emite um certificado de produtor orgânico para aquele agricultor, que, simultaneamente, é cadastrado no Sistema de Informações Gerenciais da Produção Orgânica (SigOrgWeb), do Ministério da Agricultura. Dessa forma, o agricultor passa a ter o direito de utilizar o selo por um ano; ao final desse período, ele deve ser revalidado.

    “A grande vantagem dessa central é a troca e a construção do conhecimento de forma compartilhada”, comenta o coordenador da Emater-MG em Pouso Alegre, José Aluízio Nery. Segundo ele, o mercado de orgânicos está aquecido. “O que a gente ouve dos próprios agricultores é que eles vivem um momento muito bom no mercado. A demanda é sempre maior do que eles têm para ofertar”, diz.

    No entanto, o coordenador alerta que a transição do sistema convencional para o sistema orgânico deve ser bem planejada e feita de forma lenta e cuidadosa. Ele sugere ainda que os interessados procurem visitar propriedades que já estão no sistema de orgânicos, para avaliar a realidade de produção e trocar experiências.

    O secretário da Orgânicos Sul de Minas e professor do Instituto Federal Sul de Minas, Luiz Carlos Dias Rocha, reforça que esse trabalho conjunto possibilita emancipação dos produtores, que passaram de desapercebidos, desarticulados, para agir mais coletivamente, fortalecendo todos os grupos.  “Outro ponto importante são as somas das experiências. As dificuldades são socializadas, e as soluções também são apresentadas coletivamente”, salienta.

    De acordo com o professor, a Orgânicos Sul de Minas comercializa mais de 100 variedades de produtos, desde in natura, como: frutas diversas e hortaliças, até processados, como geleias, cafés e azeite de oliva. Os principais mercados são a própria região, São Paulo e Belo Horizonte.

  • Cronicas
  • SOCIEDADE SEM PRECONCEITOS

    received_1169979543096185

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (20/11/2016)

    Mais uma vez DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA, mais uma vez percebe-se a necessidade de continuar discutindo o assunto e mais uma vez vem a pergunta: “Até quando será necessário abordar este tema?”. Quando Deus criou o mundo ou quando a ciência referiu-se ao primeiro homem, não estava em cogitação a separação de cor. A questão étnica está relacionada à regionalização e as questões sociais não podem ser sobrepostas pelas raciais.

    Recentemente o ator Bruno Gagliasso e a sua esposa a atriz Giovanna Ewbank precisaram entrar na justiça contra expressões racistas de pessoas preconceituosas pela internet em decorrência da atitude do casal em adotar uma criança negra da África. O autor do gesto racista faz parte de um grupo que possui por nome: “Lugar de negro é na África”. Que absurdo! Que Ignorância! Que falta de bom senso e humanidade! A lei não pode ser condescendente com pessoas deste nível. Os Direitos Humanos não podem proteger quem age com preconceito. Em qual Bíblia ou Constituição está escrito que o negro é uma raça inferior? Quem disse que cor de pele define personalidade?
    Até mesmo o uso da pomba como símbolo da paz é algo meio preconceituoso. Tudo bem que pelas Sagradas Escrituras ela é vista com bons olhos, mas convenhamos, ô avezinha complicada. É uma peste, transmite doenças, proporciona uma grande quantidade de piolhos que infesta o ambiente onde mora, procria com muita facilidade, entope calhas e por ai vai. Uma das crônicas de sucesso apresenta o URUBU como animal muito interessante e útil ao homem. Ninguém sabe onde ele habita, não conhece sequer as suas fezes, ele não emite som nenhum e nem ataca pessoas. Além de tudo isto desempenha um papel maravilhoso de faxinar a natureza com restos de animais mortos que poderia causar inúmeras doenças. Este é o “MEU AMIGO URUBU” que nunca conseguirá o título de pacifista, sabe por quê? Porque ele é pretinho.

    A humanidade é preconceituosa por natureza, ao dizer que a coisa tá preta, significa dizer que tá tudo ruim saindo de mal para pior. Neste mesmo exemplo, o branco traduz serenidade, o vermelho: paixão e o verde: esperança. Mas e o preto? O preto significa escuridão, falta de vida e aquilo que causa pânico. Uma antiga expressão era comum ser usada: “Preto com alma de branco”. Meu Deus, quem disse que todos os brancos possuem uma alma exemplar? Por que a cor negra tem de ser a referência para o luto?

    O filme e peça de teatro “O AUTO DA COMPADECIDA” de Ariano Suassuna apresenta um Jesus negro. O espanto foi tamanho que até o personagem principal, o João Grilo, questionou se aquilo era possível. Tudo bem que a terra onde teria Jesus nascido e crescido fosse de pessoas quase que amarelas, mas o que tem de mais se os africanos o enxergarem com outra cor? Jesus é Deus e se o homem foi criado à imagem e semelhança d’Ele, Ele pode ser da cor que quiser e todas as etnias precisam ser respeitadas por isto. Atente-se ao que disse Guibson Medeiros: “A discriminação racial é uma atitude tão ingênua, que o racista se torna um perfeito idiota e não percebe”.

    Grande feito foi quando o Barack Obama foi eleito para presidente dos Estados Unidos, o país mais preconceituoso do mundo. Sendo ele um negro, mostrou que cor de pele não tem nada a ver com personalidade, exemplo disto foi ele agora abandonar o seu cargo em função das novas eleições e entrar para os livros de história como um dos mais qualificados gestores da modernidade. O Brasil também se deparou com um jurista negro que conseguiu colocar muito político corrupto na cadeia, seu nome Joaquim Barbosa.

    Esta mesma nação que deu o título de REI DO FUTEBOL para o negro Pelé. Quantos heróis da cor escura os livros de história já não citaram? Mahtma Gandhi, Martin Luther King, Nelson Mandela, dentre outros. Tudo começou com o tratamento dado aos escravos no período colonial e imperial. Como era desejo a propagação da cultura europeia, é certo que se fazia necessário o menosprezo ao negro africano. Os coitados eram tratados piores do que animais e hoje a sociedade ficou é devendo a estes seres humanos um mínimo de respeito e não continuar com aquela ideologia de segregação idiota.

    Um fator que não pode deixar de ser considerado é quando o preconceito vem por parte do próprio negro. Muitas vezes eles se acham discriminados e procuram alternativas para intensificar este distanciamento. Um bom exemplo é o sistema de cotas em universidades. Dá a impressão que a cor de pele interfere na aprendizagem e na verdade não é isto que acontece. A inteligência é algo que Deus distribuiu por igual e a possibilidade de ser aprovado em uma prova como esta não pode ser diferenciada. Esta separação tem causado bulling por parte de quem entrou sem cotas para aquele que foi beneficiado.

    Pois bem, este tema é bem polêmico e abre margem para muitas discussões e para fechar com chave de ouro, fica aqui o desejo que a sociedade seja de fato humanitária, igual, respeitosa e de muito amor mútuo. Assim já dizia o escritor Alber Germânico: “Preconceitos, intolerância racial e social, profunda estupidez. Ao final somos e seremos apenas ossos”.

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (20/11/2016)

  • Notícias
  • Polícia Civil realiza leilão de veículos em Poços de Caldas

    A Polícia Civil de Minas Gerais em Poços de Caldas realiza, no dia 23 de novembro, leilão de veículos.  Ao todo, serão arrematados 30 veículos  oficiais, além de materiais e equipamentos automotivos.

    O leilão ocorrerá de 9h as 12h, no auditório do 29º Batalhão da Polícia Militar, localizado na Rua Amâncio Mazaroppi, número 195, bairro Estância São José – Poços de Caldas. Poderão participar do arremate pessoas físicas e jurídicas (ver edital).

    Os lotes estarão disponíveis para visitação conforme cronograma abaixo:

    Lotes da PCMG: 125 a 155

    Data para visitação: 17, 18, 21 e 22 de novembro de 2016, no horário das 9h às 12h e 14h às 17h.

    Locais para visitação:

    A visitação dos bens discriminados nos lotes de números 125 a 131 poderá ser feita na 1a DRPC, localizada na Avenida José Remigio Prézia, no 502, Bairro Jardim dos Estados,Poços de Caldas/MG

    A visitação dos bens discriminados nos lotes de números 132 a 141 poderá ser feita no Pátio Mapa, localizado na Rua Cuá, no 350, Bairro Vila Teixeira, Alfenas/MG.

    A visitação dos bens discriminados nos lotes de números 146 a 149 poderá ser feita no Pátio Tia Lena, localizado na Rodovia MG 05, São Sebastião do Paraíso/MG.

    A visitação dos bens discriminados nos lotes de números 150 a 154 poderá ser feita no Pátio Papa-Léguas, localizado na Rua Major Joaquim Pedro, no 337, Bairro Parque Imigrantes, Guaxupé/MG.

    A visitação do bem discriminado no lote de número 155 poderá ser feita na 1a DRPC, localizada na Avenida José Remigio Prézia, no 502, Bairro Jardim dos Estados, Poços de Caldas/MG.

    gmg-6842

    gmg-9116

    hmg-3459

  • Cronicas
  • PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

    proclamacao-da-republica-brescolaCrônica de Elias Daniel de Oliveira (13/11/2016)

    Nesta semana os brasileiros usufruem de um feriado daqueles que não se tem nada para fazer. Trata-se do dia 15 de novembro, data esta que aconteceu a proclamação da República do Brasil no ano de 1889. O interessante é que virou de fato um dia de folga, destes que não se tem um compromisso cívico e nem religioso. A crônica de hoje pretende aproveitar o tema e explorar o assunto, com o objetivo de instruir a respeito desta importante data, bem como as suas implicações.
    Voltando um pouco na história para se chegar até neste ponto, convém lembrar o ano de 1808. Nesta época o rei de Portugal, D. João VI fugiu para o Brasil porque o seu país estava sendo invadido pelas tropas napoleônicas. Como esta terra era uma grande roça, o monarca resolveu investir em infraestrutura para poder usufruir um pouco mais de comodidade. Com tantos benefícios, como a fundação do Banco do Brasil, a Academia Militar e da Marinha, a Imprensa Régia, a Academia de Belas Artes, o Jardim Botânico, o Museu da Biblioteca Nacional, além de outros museus, bibliotecas, teatros e escolas, o Brasil se tornou um país quase independente com o título de Reino Unido a Portugal e Algarve, tornando-se assim a capital de Portugal. Com a morte de Napoleão Bonaparte, D. João foi obrigado a voltar para seu país e o Brasil passou a ser governado pelo seu filho D. Pedro I que a principio relutou, mas depois aceitou e sob solicitação dos brasileiros empenhou-se pela independência da nação. No ano de 1826 D. João falece e o imperador brasileiro opta por voltar para Portugal para suceder o seu pai, deixando o governo do Brasil nas mãos de seu filho D. Pedro II que na ocasião possuía apenas cinco anos de idade. Bom, até que ele alcançasse a maior idade, a nação foi governada por algumas regências exercidas por lideranças civis. O segundo reinado começou no ano de 1840 e durou 49 anos. A sociedade não evoluir muito nesta época ficando bastante escravocrata e participando de guerras sem sentido como a do Paraguai. A Inglaterra por sua vez pressionava o Brasil para entrar na modernidade e comprar os seus produtos, haja vista que a maioria dos brasileiros ser composta por escravos. No ano de 1888 aconteceu então a abolição da escravidão diante de um golpe. O rei viaja e deixa a sua filha Princesa Isabel para tomar conta da nação, na sua ausência ela assinou a lei áurea oficializando a grande luta dos negros e dos abolicionistas. Mas, como o governo do segundo reinado já estava desgastado e os grandes fazendeiros revoltados com a libertação dos negros, nasce então o movimento republicano que oficializou no dia 15 de novembro o fim da monarquia no Brasil.
    Até aqui foi possível compreender a importância desta data, não é? De fato o Brasil entrou na modernidade com a proclamação da República. Para não fugir à regra, nem tudo foram flores. Os primeiros governantes republicanos eram ex-monarquistas que agora assumia outro papel e se diziam grandes opositores ao antigo regime. Como se fazia necessário uma nova constituição e levando em consideração a dificuldade em elaborar uma, os primeiros constituintes praticamente adotaram a dos Estados Unidos. As corrupções, compras de votos, voto cabresto, falsificações nas urnas e outras podridões eram comum neste inicio do Brasil republicano. Pode até ser por isto que esta data seja somente lembrada e não necessariamente comemorada por ter nascido de maneira tão desorganizada.
    E o que é esta tal REPÚBLICA? É uma palavra que pode ter vários significados. Na maior parte dos casos, ela serve para qualificar uma forma de governo em que o Chefe de Estado é eleito pelos representantes dos cidadãos ou pelos próprios cidadãos, e exerce a sua função durante um tempo limitado. Mas se ela for analisada na sua essência, lá onde ela nasceu, lá na Grécia antiga, será possível conceituá-la com mais precisão e chegar a conclusão que ela não é levada a sério. Para filósofo grego Platão, a República possui quatro características: a busca da justiça, o conhecimento, a convivência da política e da moral e a ética individual ao projeto das cidades. Esta palavra deriva do latim res publica, expressão que pode ser traduzida como “assunto público”.
    Bom, o Brasil vive então sob este modelo de governo. Para ninguém esquecer, o próprio nome completo da nação é REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. É possível compreender então que, por intermédio desta palavrinha, o brasileiro deveria ter mais soberania do que o presidente. Quem coloca no poder os governantes, bem como os legisladores é o povo por intermédio do voto. Um prefeito não é prefeito, está prefeito. Um governador não é governador, está governador. Um presidente não é presidente, está presidente. O mesmo serve para os vereadores, deputados e senadores. Isto significa que eles devem servir o povo e não o contrário. A comemoração do dia 15 de novembro deveria servir para conscientizar o povo da sua importância enquanto dono da nação. Os ocupantes da alta elite administrativa não são nada mais do que funcionários transitórios que deveriam ser obrigados a mostrar para a população o que estão fazendo e como estão administrando o dinheiro público. Qualquer suspeita de desvio de verba deveria ser motivo de punição da mesma forma que um empregado que comete delitos em uma empresa.
    A conclusão vai ficar por conta do grande escritor e político Rui Barbosa, quando dizia: “A República não precisa de fazer-se terrível, mas de ser amável; não deve perseguir, mas conciliar; não carece de vingar-se, mas de esquecer; não tem que se coser na pele das antigas reações, mas que alargar e consolidar a liberdade.”

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (13/11/2016)

  • Destaque
  • PARTICIPE DA 1º FORÇA-LEITE 2016

    PRODUÇAO RACIONAL DE LEITE

    ASSUNTOS:

    -Alimentação animal

    -Criação de bezerras

    -Manejo e bem estar animal

     

    LOCAL: FAZENDA DR. VICENTE, AO LADO DA COMUNIDADE DOS MACHADOS. 

    DATA: 30 DE NOVEMBRO DE 2016 (QUARTA FEIRA)

    HORÁRIO: 09h00min

    PARTICIPANTES:

    VETERINÁRIOS: ADRIANA DE SOUZA COUTINHO (PROFESSORA DA UFLA)

    RAFAEL VIEIRA COSTA DA COOPERBOM

    PESQUISADOR DA EPAMIG: CLENDERSON GONÇALVES

     

    ORGANIZAÇÃO: EMATER-MG

                APOIO: COOPERBOM, COMUNIDADE FM  E PREFEITURA MUNICIPAL

     

    sem-titulo

     

  • Cronicas
  • A CELEBRAÇÃO DOS MORTOS

    received_1157410031019803

    Crônica de Elias Daniel de Oliveira (06/11/2016)

    Foi celebrado nesta semana O DIA DE FINADOS. Levando em consideração a importância do tema, ele não poderia passar despercebido. Há uma interpretação muito mística e misteriosa quando se fala dos mortos. É claro que aquela velha indagação fica no ar sobre qual o sentido da vida e se de fato tudo termina naquele momento em que o coração para de funcionar. Muitos especialistas e segmentos filosóficos tentam desvendar o assunto e pegando carona nesta temática, o DIA DE FINADOS norteará a reflexão de hoje. (mais…)

  • Destaque
  • Veja como economizar energia elétrica no período de altas temperaturas

    Soluções simples podem ser adotadas pelos consumidores para diminuir o valor da conta

    Nesta semana, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), divulgou o sétimo aumento consecutivo no consumo residencial de energia elétrica no Brasil: 4,6% em setembro. A região Sudeste foi a que registrou maior aumento nessa classe de consumo, com uma alta de 5,7%. Dessa forma, a Cemig destaca medidas que ajudam a diminuir o consumo e reduzir o valor da fatura. (mais…)